eu acelero, tu (des)aceleras

aceleração de negócios de impacto
parece viver seu momento ‘criptomoeda’

mas
vamos refletir um pouco:

qual a finalidade de tanta aceleração?
há, potencialmente, várias possibilidades

– se for pra gerar pipeline para investidores:
1. quem paga essa conta?
2. esse modelo com cara de meritocracia não soa equivocado?

– se for para fortalecer os próprios negócios:
1. esse modelo da aceleração de startups convencionais é a inspiração mais adequada?
2. mentores de para-quedas e um monte de ferramentas é o mais funcional?

– se for para formar rede de empreendedores:
1. o formato de aceleração é o mais interessante?
2. rede pela rede? Com qual finalidade?

– se for para plugar com grandes empresas:
1. pra investir? pra virar fornecedor? pra sair na foto?
2. A empresa aprende a fazer, internaliza e dá um by-pass nas aceleradoras?

há muitos caminhos
muitos nuances e rumos possíveis

o pior é ver
o copia-e-cola rolando solto

#impactonaencruzilhada

O post eu acelero, tu (des)aceleras apareceu primeiro em Fábio Deboni.