mind the gap

expressão londrina muito comum
que trago para o campo
dos negócios de impacto e afins

reúno abaixo 5 lacunas
que precisamos lidar
neste campo

1. Avaliações independentes

afinal, quem afere se os negócios
geram mesmo impactos positivos?

quem paga por isso?

2. Capital paciente

se a lógica do match funding
parece ganhar força
no setor filantrópica e público

de onde virá o tão necessário
‘fundo perdido’
para desenvolver este campo?

3. Bom pipeline

se as organizações intermediárias
passam sufoco pra pararem de pé
quem seguirá gerando
e qualificando pipeline?

quem busca bom pipeline
topa pagar por isso?

4. Matriz ou filial do ecossistema?

um país do tamanho e da diversidade
do Brasil consegue expandir
esta agenda com uma dúzia
de organizações de referência?
(concentradas no centro-sul do país?)

enquanto a zona sul de SP
está na 6a temporada
desta história
há locais que sequer assistiu ao trailer

5. Narrativas múltiplas?

onde cabem outras versões
desta história?

onde elas são acolhidas e consideradas?

seguirão relegadas a algumas
notas de rodapé e aos anexos?

#impactonaencruzilhada

O post mind the gap apareceu primeiro em Fábio Deboni.