o senso comum da transformação social

1. quanto mais doação, melhor
– qual doação?
– de onde vem e pra onde vai?
– doação que deixa qual legado
enquanto alivia a emergência?

2. celebridades sociais sempre ajudam
– para além da imagem, que mais elas agregam?
– celebridades de ONGs: um meio para se chegar a qual fim?
– é possível se perder no caminho?

3. as instituições cooperam entre si
– quais instituições?
– abrem mão de suas próprias agendas institucionais?
– transatlânticos cooperam com jet skis?
– quem controla o leme?

4. sobram recursos, faltam bons projetos
– onde sobra grana? Pra que tipo de projeto?
– na arca de noé do impacto só cabem unicórnios?

5. política e transformação social não se misturam
– sério? Em qual cartilha isso está escrito?
– não pode pelo tipo de posicionamento
ou por causa do investidor?

6. não há competição na filantropia/3º setor
– todo mundo é bróder ou uns mais do que outros?
– quem não é da panela sonha em entrar?

como se vê
na busca por um lugar ao sol
nesta fantástica fábrica
do impacto socioambiental

sobra senso comum
faltam boas provocações

#impactonaencruzilhada

O post o senso comum da transformação social apareceu primeiro em Fábio Deboni.